Tradição na épica grega arcaica release_kz5njkxcvfgovnjdse6p2mbsdy

by Adrian Kelly

Published in Letras Clássicas by Universidade de Sao Paulo Sistema Integrado de Bibliotecas - SIBiUSP.

2010   Issue 14

Abstract

O que foi legado a Homero é fonte de um desacordo sempre crescente entre os estudiosos modernos, não apenas referente ao "o que" de sua herança mas até mesmo ao "como". Dicotomias mais antigas estabeleceram uma forte distinção entre os elementos recorrentes na poesia homérica e os toques individuais, rotulando o primeiro de "tradição" e o segundo de "inovação". Estudos mais recentes, entretanto, têm mostrado a inter-relação essencial e constante desses dois conceitos: há uma individualidade constante na formação e no desenvolvimento mesmo das características mais comuns, ao passo que os elementos aparentemente mais inovadores da poesia homérica mostram a influência da padronização e tipicidade que viemos a esperar. Em outras palavras, a tradição é sempre inovadora, e a inovação é sempre tradicional. Ainda assim, essa reciprocidade parece ter sido ignorada em dois ramos importantes da pesquisa homérica moderna, os quais podemos chamar de Neoanálise e de orientalismo: ambas essas escolas de pensamento compartilham pressuposições sobre o contexto textual e tradicional de Homero que são insustentáveis. Esse artigo remeterá a alguns exemplos famosos dessas duas abordagens, e sugere um contra-argumento "tradicional" a ambos.
In application/xml+jats format

Archived Files and Locations

application/pdf  179.6 kB
file_3jjpr55a3vhtnafcu6j3eyqivy
web.archive.org (webarchive)
www.revistas.usp.br (web)
Read Archived PDF
Archived
Type  article-journal
Stage   published
Date   2010-12-19
Container Metadata
Open Access Publication
Not in DOAJ
In Keepers Registery
ISSN-L:  1516-4586
Work Entity
access all versions, variants, and formats of this works (eg, pre-prints)
Catalog Record
Revision: 83fa8c67-4325-417f-a2aa-3bdd07c70bfe
API URL: JSON