O movimento feminista no Brasil sob a ótica do Behaviorismo radical release_64mvxqvsdvd6bduiumzoa37pce

by Luana Sousa dos Santos, Mirella Hoschette Dearo Valverde, Adriana Regina Rubio

Published in Psicólogo inFormação by Instituto Metodista de Ensino Superior.

Volume 21, Issue 21-22 p81 (2018)

Abstract

O presente estudo teve por objetivo analisar o movimento feminista no Brasil sob a ótica do Behaviorismo Radical. Observa-se que contingências de reforço mantidas por um grupo podem ser denominadas contingências culturais e caracterizam-se num nível de seleção pelas consequências - o nível de seleção cultural que fora proposto por F.Skinner a fim de compreender melhor o ser humano, completando as indagações que não podiam ser respondidas adequadamente pela seleção natural (ou filogenia) e a seleção operante (ontogenia). Assim, é possível compreender que o movimento feminista é uma prática cultural composta de metacontingências, em que há contingências entrelaçadas com recorrência envolvidas. Com estas concepções foi é possível analisar que o movimento feminista possibilitou  mudanças nas práticas culturais do Brasil. Mudanças que envolvem diversas áreas de atuação da mulher: seja na esfera familiar, política e do mercado de trabalho.
In application/xml+jats format

Archived Files and Locations

application/pdf  329.9 kB
file_3qegzh3oibdzpe3xil33iz6qoa
web.archive.org (webarchive)
www.metodista.br (publisher)
Read Archived PDF
Archived
Type  article-journal
Stage   published
Date   2018-11-28
Container Metadata
Open Access Publication
Not in DOAJ
In Keepers Registery
ISSN-L:  1415-8809
Work Entity
access all versions, variants, and formats of this works (eg, pre-prints)
Catalog Record
Revision: 3dd96e31-b58e-46e3-b8ce-97f07ca12cac
API URL: JSON